Contact

Contact Us

Scroll to top of page

You are here

UTCAL 2018: Redes obsoletas tornam concessionárias elétricas mais vulneráveis a ameaças Cibernéticas, afirma especialista da RAD

(Especialista israelense defende que as concessionárias convertam a IT- Tecnologia da Informação - para o novo paradigma OT - Tecnologia de Operação - integrando eventos, processos e dispositivos num único painel de abordagem)
May 16, 2018

"A maior parte das empresas elétricas mundiais está com suas estruturas pouco eficientes e vulneráveis a ataques do cibercrime e do ciberterrorismo, mesmo em países avançados, como é o caso dos EUA".

A afirmação é do especialista israelense em segurança cibernética de infraestruturas críticas, Amir Barnea, um dos convidados a palestrar no Congresso Internacional do Utilities Telecom Council (UTCAL 2018), que acontece entre 03 e 06 de abril no Rio de Janeiro.

Ele diz que o próximo passo para a modernização das concessionárias é realizar a conversão de suas estruturas inteligentes, hoje alicerçadas no paradigma IT (de Tecnologia da Informação), para o paradigma OT (de Tecnologia de Operação, que integra a monitoração de eventos, processos e dispositivos num console único de observação e intervenção).

Segundo Barnea, que é líder em tecnologias de infraestrutura crítica da fabricante de redes seguras RAD, nada menos que dois terços (67%) das concessionárias elétricas norte-americanas identificam o combate às vulnerabilidades como o principal vetor de seus investimentos em tecnologia. 

"Para sair dessa situação, as operadoras necessitam acelerar a migração de suas estruturas analógicas (padrão TDM) para tecnologias digitais (Carrier Ethernet e MPLS), que são uma precondição para que elas adotem estratégias eficientes de segurança cibernética", afirma ele.

A este propósito, Barnea enfatiza que 81% das elétricas reconhecem a defasagem tecnológica de suas redes e veem como prioridade a eliminação de sistemas obsoletos. Além de agravar a vulnerabilidade às ameaças, as estruturas analógicas não admitem, por exemplo, o uso de câmeras IP (essenciais para a supervisão física das instalações) e de sensores com capacidade de aquisição de dados de processo (IoT) a partir dos dispositivos operacionais, tanto para segurança quanto para performance", continua Barnea.

A pesquisa mencionada por Amir Barnea foi feita com as principais concessionárias de energia dos EUA a pedido da RAD pela Newton-Evans Research. Mas ela atesta, segundo o especialista, uma realidade global cujos efeitos ficaram evidentes em 2017 através da propagação dos malwares "Wannacry" e "Petya", que paralisaram diversas plantas elétricas ao redor do mundo Barnea acrescenta ainda que, entre as concessionárias norte-americanas, nada menos que 32% ainda planejam migrar suas antigas redes TDM (analógicas) para o padrão de comutação por pacotes na comunicação das centrais com as subestações geograficamente dispersas. Este é um movimento considerado crucial também para que as concessionárias possam se livrar da dependência de linhas digitais alugadas (de alto custo) e partir para a comunicação IP ao longo de toda a planta.

"A migração para redes Ethernet é condição não só para a implantação de smartgrids, mas também para que as redes absorvam tecnologias efetivas de proteção e defesa cibernética", completa o especialista. 

Ele acrescenta que as empresas mais ágeis do ramo de Utilities estão trabalhando de forma acelerada para modernizar suas estruturas de gerenciamento baseadas no protocolo SCADA, a fim de torná-las compatíveis com o ambiente de controle e segurança digital e de aplicações IoT envolvendo a aquisição segura de dados de processo.

Através de seus parceiros 2R Datatel, CMA e TI Safe, a RAD participa de projetos de modernização de redes em dezenas de concessionárias, tais como Coelba, Celpe, Neoenergia e Celesc, entre outras. 

Na UTCAL A RAD apresenta as soluções SecFlow e Megaplex para a implementação e atualização de infraestrutura crítica com redes seguras, incluindo soluções para a segurança de subestações.

Palestras na UTCAL 2018

Amir Barnea irá proferir a palestra: 
"Como migrar para redes de pacote ciberseguras mantendo os serviços legados e a confiabilidade" (dia 4 de abril às 16:10h).

O engenheiro Marco Rodrigues, principal executivo da RAD do Brasil, fará a exposição:
"Cyber Shield, uma solução de cibersegurança em uma operação WAN e distribuição da automação" (dia 5 de abril às 11:20h). 

Serviço:
UTC Summit 2018
Data: 03 a 06 de Abril de 2018
Local: Windsor Barra Hotel - Av Lúcio Costa, 2630 - Barra da Tijuca - RJ
http://www.utcamericalatina.org/summit2018/

Sobre a RAD

A RAD é líder em soluções de comunicações seguras para infraestrutura crítica. Nossas soluções de rede com garantia de serviço permitem que as operadoras de rede de infraestrutura crítica (concessionárias públicas, empresas de transporte e governo) desenvolvam qualquer classe serviço em qualquer tipo de rede. 

Ao permitir que as operadoras desvinculem a evolução dos serviços da evolução da rede, nós os ajudamos a migrar em um ritmo mais adequado e eficiente.

Com nossas soluções, as empresas podem melhor aproveitar os seus recursos preexistentes e prolongar o uso de uma grande variedade de suas interfaces e equipamentos legados. Bem como garantir o melhor desempenho da rede e dos serviços para suportar suas operações críticas. 

As soluções da RAD incluem as mais evoluídas ferramentas para ambientes operacionais TDM e WAN  por pacotes, além de backhaul  para IoT industrial e para banda larga fixa e móvel, assim como soluções robustas LAN.

O portfolio RAD inclui soluções avançadas de blindagem cibernética e monitoramento de desempenho para infraestrutura crítica.

Fundada em 1981, a RAD possui uma base instalada de mais de 16 milhões de unidades e é membro do grupo de empresas RAD de US $ 1,3 bilhão, líder mundial em soluções de comunicações.

Press Relations

Stay Up-to-date

Sign up to receive our newsletter

More Press Releases

What would you like to do?